Como reduzir a carga tributária?

O Planejamento Tributário permite que a empresa diminua os encargos

 

Produzir, divulgar, vender e entregar o produto ou serviço dentro do prazo para o cliente. Além de todas essas questões, o empresário também deve se atentar ao planejamento tributário de sua empresa, já que em torno de 30% do faturamento é destinado ao pagamento de tributos.

Se conversarmos com empresários brasileiros de diversos ramos, um questionamento vai surgir por inúmeras vezes: como a minha empresa pode pagar menos impostos?

E isso é possível! A diminuição da carga tributária é feita por procedimentos legais, dentro do Planejamento Tributário, que tem como objetivo a gestão de pagamento de tributos e a diminuição de gastos com impostos.

Essa ferramenta abrange desde a opção pelo regime tributário mais adequado para a empresa até procedimentos que impeçam a ocorrência de tributos.

Qual regime tributário escolher?

 

Não existe uma receita ou uma regra geral para optar por um regime tributário. Como destacamos no artigo “Regimes tributários: qual o mais adequado para a sua empresa?”, optar por um regime tomando como base uma instituição que exerce as mesmas atividades pode ser um equívoco.

A sua empresa pode exercer a mesma atividade que outra, mas ter uma movimentação totalmente diferente. Por isso, é necessário uma análise tributária levando em consideração os seus resultados.

Quais ações podem diminuir a carga tributária?

 

Há alguns procedimentos que podem ser feitos para reduzir a carga tributária. As ações são para evitar a incidência de impostos, diminuir o valor a ser pago em tributos ou postergar o pagamento deles sem ter a incidência de multas.

Entre essas ações, está o aproveitamento de redução de alíquotas em políticas de incentivo, a substituição da maior parte do pró-labore pela distribuição de lucro, mudança da data de faturamento de alguns clientes, entre outras. Todos esses procedimentos são feitos sempre dentro do que é permitido por Lei.  

Como faço o Planejamento Tributário de minha empresa?

 

Como destacamos em alguns pontos do texto, o Planejamento Tributário auxilia na diminuição de encargos seguindo rigorosamente as Leis. Então, para fazer um Planejamento Tributário e colocá-lo em prática, é necessário ter um amplo conhecimento da legislação.

É fundamental a ajuda de um escritório contábil de confiança, que trabalhe respeitando a legislação e em busca da rentabilidade de seus clientes.

A GSi Contabilidade

 

A GSi, com cerca de 30 anos no mercado, trabalha sempre em busca da rentabilidade e do crescimento saudável e contínuo de seus clientes. Com profissionais altamente capacitados, a GSi desenvolveu a reputação de líder em contabilidade e consultoria.

Além de toda a experiência, a GSi possui formação jurídica, que permite desenvolver e administrar projetos diferenciados.

Como abrir uma loja virtual?

Saiba o que é preciso para abrir um e-commerce

Os hábitos de compra mudaram e com isso o comércio eletrônico cresceu. Segundo a revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, só no primeiro semestre de 2017, as lojas virtuais no Brasil faturaram 21 bilhões de reais, o equivalente a 7,5% a mais que o mesmo período que o ano anterior.

 

Uma loja virtual tem algumas vantagens, como:

  • Atingir um maior número de pessoas;
  • Baixo custo operacional;
  • Funcionamento 24 horas por dia;
  • Relatórios das ações do cliente dentro da loja;
  • Remarketing – aparecendo nas redes para o potencial consumidor;
  • Entre outras.

 

O que é preciso para abrir uma loja virtual?

 

O processo de abertura de uma loja online é semelhante ao de uma loja física. Inclusive, será necessário ter um endereço físico para funcionamento, alvarás dos órgãos competentes, registro na Junta Comercial do Estado, na Receita Federal e na Secretaria da Fazenda.

 

Estabeleça o local para o funcionamento

 

Se você deseja abrir uma empresa de e-commerce, é necessário estabelecer um endereço físico para o funcionamento do seu comércio online. Nesse local que acontecerá a operação de seu escritório e/ou estoque.

 

Também é necessário verificar se no endereço pretendido é permitido exercer a sua atividade e quais são os critérios de concessão de Alvará de Funcionamento.

 

Registre o sua loja virtual

 

Alguns registros precisam ser feitos para o seu e-commerce poder começar a funcionar. É necessário elaborar o Contrato Social e efetuar o registro da sua empresa na Junta Comercial para obter o seu CNPJ.

 

Além disso, é  preciso obter outros registros e alvarás pertinentes a atividade da empresa.  Para saber mais sobre o processo de abertura de sua loja virtual, leia em nosso blog os passos para abrir uma empresa.

 

Abra a sua loja virtual

 

Há muitos detalhes operacionais de sua empresa que você precisa definir antes de começar a vender em sua loja online, como: a plataforma que abrigará o seu site, a forma que receberá os pagamentos, a segurança de sua loja virtual, a divulgação, a logística e o frete que vai trabalhar.

 

E com o crescimento da comercialização online, surgiram Leis e Normas para regulamentar a prática que você precisa conhecer antes de começar as suas operações. Mas o processo de abertura de uma loja virtual é semelhante ao de uma loja física. Procure uma Contabilidade com experiência para fazer a abertura de sua empresa.

[button link=”http://www.gsibrasil.net/servicos/abrir-empresa/” newwindow=”yes”] Abra a sua empresa com a GSi [/button]

Lucro Real e suas vantagens: créditos de PIS e COFINS

No Lucro Real a forma de apuração de PIS e COFINS é pelo regime não-cumulativo

 

Uma das principais características do Lucro Real é a apuração de PIS e COFINS, feita pela forma não-cumulativa, o que permite que a empresa tenha créditos em determinadas despesas e custos.

Nesse sistema, as alíquotas são diferentes das trabalhadas na forma cumulativa de apuração, praticada nos outros regimes tributários. Nesse caso, as alíquotas sobre a receita bruta são:

 

  • PIS: 1,65%
  • COFINS: 7,6%

 

Créditos admissíveis na apuração

 

No artigo as 5 vantagens do Lucro Real que você precisa conhecer, a apuração de PIS e COFINS pela modalidade não-cumulativa foi apontada como uma das vantagens do Lucro Real, por permitir créditos nas operações.

São permitidos créditos a bens e serviços adquiridos de outra pessoa jurídica, assim como custos e despesas pagos a outras empresas do país, entre outras despesas relacionadas a operação da empresa. São admissíveis créditos:

 

  • Bens ou serviços utilizados como insumos, seja para a produção de um produto destinado a venda ou para a prestação de serviço; 
  • Bens adquiridos para revenda;
  • Energia elétrica;
  • Aluguéis de prédios, equipamentos e máquinas pagos para pessoa jurídica;  
  • Fretes e armazenamento na operação de venda;
  • Depreciação de bens e benfeitorias em edificações próprias ;
  • Devoluções de vendas;
  • Peças e serviços de manutenção;
  • Vale-transporte, alimentação e uniformes dos colaboradores.

O cálculo do PIS e COFINS pela modalidade não-cumulativa, é feito com as alíquotas pré-determinadas sobre a receita bruta total e após são abatidos os créditos permitidos por lei, referente às operações da empresa no mês, no valor a ser pago de imposto.

 

Faça uma análise tributária

 

Ao fazer uma análise comparativa dos regimes tributários, é essencial levar em consideração os créditos de PIS e COFINS que a sua empresa pode ter.

Apesar das alíquotas serem maiores do que na modalidade cumulativa, os créditos permitidos nas despesas e custos das operações, podem fazer com que essa modalidade seja mais vantajosa para a sua empresa.

 

[button link=”#http://www.gsibrasil.net/blog/” color=”orange” newwindow=”yes”] Leia nosso eBook sobre o Lucro Real[/button]

 

Declaração de Renda 2018 começa dia 01 de março

Quem recebeu mais de R$ 28.559,70 em 2017, precisa fazer a declaração do Imposto de Renda até dia 30 de Abril

Nesta quinta, dia 01 de março, começa a entrega da declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física. A Secretaria da Receita Federal informou que a declaração pode ser feita até dia 30 de abril.

Esse ano, dependentes com 08 anos ou mais precisam ter inscrição no CPF e esse número ser informado na declaração. Outra novidade é para quem tem guarda compartilhada, o filho só poderá ser considerado dependente de um dos pais.

 

Quem precisa declarar o Imposto de Renda?

 

A declaração é feita pelos ocorridos no ano-base de 2017, levando em consideração ganhos e atividades até dia 31 de dezembro. Precisa fazer a declaração:

  • Quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$28.559,70, o equivalente a R$ 1.903,98 mensais;
  • Quem recebeu rendimentos não-tributáveis superiores a 40 mil;
  • Quem passou a residir no Brasil em qualquer mês do ano e ainda estava morando no país no dia 31 de dezembro;
  • Quem tinha bens ou direitos com o valor acima de 300 mil;
  • Quem teve, na atividade rural, receita bruta maior que R$142.798,50;
  • Quem, em qualquer mês do ano, teve ganho de capital, sujeito à incidência de impostos, na alienação de bens e direitos;
  • Quem realizou operações em bolsa de valores e semelhantes.  

 

Preciso de quais documentos para fazer a declaração do Imposto de renda?

 

Para fazer a declaração do Imposto de Renda é necessário reunir informações e documentos antecipadamente, para evitar erros ou atrasos na entrega. Além da cópia da declaração do ano anterior, são necessários notas fiscais, boletos pagos ou recibos referentes a seguintes atividades:

  • Serviços médicos e odontológicos;
  • Transações patrimoniais;
  • Despesas com educação;
  • Aluguel;
  • Em caso de ter empregados domésticos com carteira assinada, comprovantes de contribuição previdenciária.

 

Como fazer a declaração do Imposto de Renda?

 

O programa gerador da declaração do Imposto de Renda 2018 já está disponível para download. A declaração também pode ser feita da forma simplificada, sem as deduções permitidas com saúde e educação, por exemplo.

É recomendado que o contribuinte tenha o auxílio de um profissional habilitado para fazer a entrega da declaração. Também é necessário ficar atento aos prazos, quem enviar a declaração no início, sem erros ou inconsistências, se tiver direito à restituição, têm mais chances de recebê-la primeiro.   

 

E se perder o prazo?

 

Quem perder o prazo para enviar a declaração, deverá fazê-la com atraso com a incidência de uma multa, com o valor mínimo de R$165,74. A Receita cobra juros de 1% ao mês, mas com o limite de 20% sobre o total de imposto devido em 2017.

Entregar a declaração dentro do prazo também permite ao contribuinte, que constatar algum erro, fazer a entrega de uma declaração retificadora, sem pagar multas.  

As 5 vantagens do Lucro Real que você precisa conhecer

A compensação de prejuízos fiscais é uma das vantagens que a empresa pode ter no Lucro Real

Burocrático, essa é a definição que em algum momento você ouviu sobre o Lucro Real, mas o fato é que a contabilidade de sua empresa deve ser feita independente do regime tributário que ela for optante.O que talvez não te contaram são as vantagens que o seu empreendimento pode ter ao optar pelo lucro real.

 

Se você leu nosso eBook “ Lucro Real – Tudo que você precisa saber”, deve ter visto que uma das principais vantagens desse regime é que ele permite que a organização tenha um planejamento tributário mais amplo. Mas há diversas outras vantagens que uma empresa optante pode ter:

 

1 – Se houver prejuízo fiscal, não há recolhimento de IRPJ e CSLL

 

Uma das principais características e vantagens do Lucro Real é que em caso de ser apurado prejuízo fiscal no balanço contábil, não há o recolhimento de IRPJ e CSLL, seja na modalidade anual ou trimestral do regime.  

 

2 – Compensação de Prejuízos Fiscais

 

Esse regime tributário permite que os prejuízos fiscais sejam compensados em períodos de lucro em até 30%, seja apurado de forma trimestral ou anual.

No Lucro Real trimestral, o prejuízo fiscal pode ser compensado nos trimestres seguintes. Já no anual, pode ser compensado no ano seguinte ou até mesmo utilizando balanços de suspensão/redução.

 

3 – Contabilidade como ferramenta de gerenciamento

 

Além de um planejamento tributário mais amplo, por seguir a contabilidade a risca, uma empresa optante pelo lucro real tem a possibilidade de utilizar a contabilidade como ferramenta de gerenciamento.

Os relatórios contábeis mostram a realidade da empresa, os custos das operações, entre outras coisas. E, a partir deles, pode-se ter um controle financeiro e orçamentário, avaliar os indicadores de desempenho, a rentabilidade e liquidez. Além da avaliação do fluxo de caixa atual, é possível projetar os futuros e ainda pode ser uma ferramenta para auxiliar a formação de preços.  

4 – Apuração de PIS E COFINS pelo regime não-cumulativo

 

Uma outra vantagem é a utilização de créditos de PIS e COFINS, já que a apuração desses impostos é feita pelo regime não-cumulativo.

Essa característica permite créditos a despesas relativas a operação da empresa, como aluguel, energia elétrica, materiais para revenda, entre outros.

O próximo artigo da GSi Contabilidade abordará a forma de crédito de PIS e COFINS no Lucro Real.

 

5 – Pagamento de Juros sobre Capital próprio

 

Independente de sua tributação, qualquer empresa pode pagar JCP (Juros sobre Capital Próprio) aos acionistas e sócios, porém apenas no Lucro Real esse pagamento pode ser utilizado na dedução de IRPJ e CSLL.

 

Opção pelo Lucro Real

 

O Lucro Real parece um regime vantajoso para a sua empresa? Procure a sua contabilidade de confiança, faça uma análise comparativa entre os regimes tributários e veja se ele é o melhor para a sua instituição.

 

Fique atento as datas para opção

 

A opção pelo regime tributário é feita com o pagamento do primeiro DARF do ano com o código da receita próprio do Lucro Real. Essa tarefa tem que ser feita por sua contabilidade de confiança.

 

 

Lucro Real x Presumido: conheça as principais características dos dois regimes tributários

O regime tributário de sua empresa dita qual será a forma da tributação dos resultados dela. No Brasil, há 3 regimes:  Lucro Real, Lucro Presumido e o mais conhecido que é o Simples Nacional. Nesse artigo, vamos conhecer mais sobre o Lucro Real e o Presumido.

Baixe o eBook: Lucro Real- Tudo que você precisa saber

Cada regime tributário possui faixas de faturamento permitidas, alíquotas diferentes e bases de cálculo distintas. Veja abaixo as características dos dois regimes tributários:

Regimes tributários: qual mais adequado para a sua empresa?

O regime tributário é um ponto importante para os resultados de uma empresa, pois dita como será a apuração e o pagamento de impostos da instituição. Por isso, essa escolha deve ser feita pelo qual é mais adequado ao ritmo financeiro de sua empresa.  

As 6 características de um empreendedor de sucesso

Conheça quais são as habilidades essenciais para empreender e ter sucesso

Por diversas vezes encontramos notícias sobre pessoas que tiveram uma boa ideia, largaram seus empregos, abriram seus empreendimentos próprios e faturaram milhões. Alguns julgam que isso seja sorte, já outros acreditam que essas pessoas nasceram para empreender.

O fato é que há habilidades comportamentais essenciais para ser bem sucedido em um negócio próprio. Saiba neste post quais são as 6 características principais para ter sucesso ao empreender:

 

Proatividade

 

A proatividade permite que o empreendedor identifique oportunidades e trabalhe antecipadamente buscando o melhor resultado possível.

Ser proativo é essencial desde a hora em que surge a ideia de empreender até no dia-a-dia da empresa, quando é necessário tomar decisões rapidamente.

Aqui não é só a pessoa que sabe reagir ao problema, mas que consegue prevê-lo e preveni-lo.

 

Capacidade de planejar

 

 

Por mais inovadora que seja uma ideia, se ela não virar plano, com datas e objetivos, jamais deixará de ser uma ideia.  

É essencial colocá-la no papel e montar um planejamento. Trabalhe com planos e metas a curto, médio e longo prazo.

 

Leia também:

O que você precisa definir antes de abrir sua empresa

Dicas para ter sua própria empresa

Passos para abrir uma empresa 

 

Disciplina

 

Há empresas com planejamentos espetaculares de enfeite em algum canto do estabelecimento. É imprescindível disciplina para colocar o plano em prática, não desistir nos primeiros obstáculos e cumprir os prazos estabelecidos.  

 

Confiança em si

 

Ter autoconfiança é essencial para empreender, você tem que ser o primeiro a acreditar em você e no seu projeto. Só assim conseguirá conquistar investidores e clientes.

 

Resiliência

 

Por mais que você preveja as oportunidades, desafios e trabalhe diante deles, alguns obstáculos vão surgir. É nessa hora que entra outra característica do empreendedor de sucesso: a capacidade de persistir, se adequar e se reerguer diantes os problemas.

 

Liderança e capacidade de delegar

 

Você pode pensar que a sua empresa vai começar pequena ou que nesse início não terá funcionários. Mas com o crescimento de seu negócio, vai ser necessário liderar e delegar tarefas.

 

Não tenho uma das características de um empreendedor de sucesso. O que fazer?

Se você não tem uma ou mais das características listadas acima, não se desespere. Muitas delas podem ser trabalhadas e desenvolvidas. Com vontade e persistência, o sonho de empreender e ter sucesso se realizará.  

O que você precisa definir antes de abrir sua empresa

Conheça quais são os pontos principais para abrir seu próprio negócio 


Se você já está perto de realizar o sonho de ser dono do seu próprio negócio, deve estar a procura de saber quais são os principais pontos para ter o CNPJ e todas as licenças necessárias para a sua empresa poder funcionar.

Mas antes de tudo há alguns pontos que você precisa dar atenção para fazer a abertura de seu empreendimento.

 

[button link=”http://www.gsibrasil.net/servicos/abrir-empresa/” newwindow=”yes”] Guia completo para abrir sua empresa[/button]

 

Defina o que será a sua empresa

 

Uma das primeiras etapas para abrir uma empresa é definir qual será o tamanho dela, qual é o seu Capital Social, se vai ser uma empresa individual ou se você terá sócios e quais serão as participações de cada um. São alguns detalhes que a ajuda de um contador vai deixar o processo mais rápido e seguro.

 

Capital Social da empresa

 

O Capital Social é a quantia bruta investida para iniciar as atividades de seu negócio, levando em consideração o tempo em que ela não vai lucrar o suficiente para se sustentar. Esse valor é estabelecido pelos sócios ou acionistas no momento da abertura.

 

Tipos de empresa mais comuns

Empresas individuais

 

  • Empresário Individual: registro é feito com o Requerimento de Empresário, que exerce atividade empresarial em nome próprio. O Capital Social sugerido é de R$10.000,00;
  • EIRELI (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada): como o próprio nome diz, a EIRELI é constituída por apenas um proprietário. O Capital Social mínimo para esse tipo de empresa é de 100 salários mínimos com comprovação de renda. E o seu registro é feito com Contrato Social.

Sociedades

 

  • Sociedade Limitada:  é constituida por dois ou mais sócios., com o Capital Social sugerido de R$20.000,00. Ela também é registrada por Contrato Social e a sua Razão Social deve ter a sua atividade principal;
  • Sociedade por ações:  essa empresa são caracterizadas por ter o Capital Financeiro dividido por ações, podendo ter o seu Capital Fechado ou Aberto. Já nesse tipo de sociedade, o registro é feito com Ata de Assembleia.

 

Procure ajuda de um profissional experiente para abrir sua empresa

 

O processo de abertura de uma empresa requer atenção a detalhes importantes. A ajuda de um contador experiente esse passo mais seguro, rápido e fácil. Além do profissional te orientar quais são as escolhas mais assertivas para você abrir sua empresa.  

 

[button link=”http://www.gsibrasil.net/contato/” newwindow=”yes”] Fale com a GSi Contabilidade[/button]

Dicas para ter a sua própria empresa

Ser dono do seu próprio negócio é o sonho de muitos brasileiros. Mas você sabe o que precisa avaliar na hora de tirar a sua ideia do papel?